Monday, 24 September 2012

A minha opinião sobre a Arte

O que é a Arte? A Wikipédia define Arte como sendo a "actividade humana ligada a manifestações de ordem estética ou comunicativa, realizada a partir da percepção, das emoções e das ideias, com o objectivo de estimular essas instâncias da consciência e dando um significado único e diferente para cada obra." Eu, claro, não sou um perito em Arte, nem pouco mais ou menos. Sem muito pouco acerca desta matéria e nunca fui bom a qualquer disciplina relacionada com ela. Mas para mim a Arte não tem uma definição concreta, uma vez que é algo tão geral que se torna quase impossível de definir. Hoje em dia, a Arte pode ser basicamente qualquer coisa, e até ouvi uma professora de Desenho dizer "tudo o que fazes é Arte". Eis uma definição ainda mais geral. Para esta senhora, tudo o que fazemos é Arte, desde o texto que escreves (como este, por exemplo), à mais magnífica obra de pintura alguma vez executada, passando pelos rabiscos que fazias em bebé, pelos "desenhos" que fazias na primária e pelos trabalhos que fazias a Educação Visual no ensino básico. Mas, como este texto é uma opinião, eis que dou a minha opinião sobre este tema tão difícil de tratar.
Eu concordo com ambas as definições de Arte acima apresentadas (a da Wikipédia e a da professora de Desenho). A Arte é, como já foi referido, uma coisa tão geral que é quase impossível de definir, principalmente nos dias de hoje, neste tempo que vivemos, chamado de Idade Contemporânea. Mas antigamente não era assim. Antigamente os padrões que definiam Arte eram mais restritos, mais limitados. Vejamos como evoluiu a Arte.
As primeiras formas de Arte apareceram há milénios atrás quando nós ainda não éramos Homo Sapiens Sapiens, quando ainda éramos colectores e vivíamos em cavernas. Nessa altura o Homem fazia pinturas nas paredes das cavernas, principalmente desenhos alusivas à caça, aos elementos naturais, etc. Eram as pinturas rupestres:
Saltando uns anos, passando o tempo do grande Egípcio, da poderosa Roma e da sábia Grécia, chegamos ao tempo do Renascimento. Depois de séculos vividos na escuridão do pensamento (também conhecido como Idade das Trevas ou Idade Média), o Homem sentiu necessidade de se renascer, de voltar ao seu apogeu, de se reinventar em todos os aspectos. O Homem aperfeiçoou assim os seus conhecimentos das ciências com o desenvolvimento de novas teorias, da astrologia com a invenção de novos instrumentos e com a criação de novas teorias (heliocentrismo), da filosofia com introdução de novos pensamentos, da literatura com o aparecimento de novos clássicos que se baseavam nos antigos (como "Os Lusíadas") e, claro, na Arte com o uso de novas técnicas e com o aparecimento de novos prodígios artísticos.
O Renascimento foi, sem dúvida, uma época importantíssima para a Arte (e para todo o ser Humano em geral), mas não apenas Arte sob a forma de pintura, mas também de escultura, música, dança, etc. (não esquecendo a escrita). Foi nesta altura que surgiram os grandes pintores, escultores e músicos que conhecemos hoje.
Exemplos óbvios são, claro, Michelangelo, Leonardo da Vinci, Giotto, Botticelli, etc. (na pintura); Donatello, Tullio Lombardo, Michelangelo, etc. (na escultura). E é aqui que entra a minha opinião. Para mim, as pinturas e esculturas que estes mestres fizeram são Arte. Na minha opinião, estes é que são os verdadeiros mestres da Arte. Eis algumas pinturas e esculturas:
A Gioconda (ou Mona Lisa) de Leonardo da Vinci

David de Michelangelo
O Nascimento de Vénus de Botticelli
São Marcos por Donatello
O Julgamento Final de Michelangelo
Agora passamos uns anos mais à frente e chegamos à Idade Contemporânea, ou seja, os dias que correm. Muitos são os pintores e escultores, músicos e dançarinos, fotógrafos e arquitectos que nos são conhecidos. Os exemplos mais básicos incluem Pablo Picasso, Salvador Dalí, Van Gogh, Joana Vasconcelos, Paula Rego, Andy Warhol, etc. E eis que encontro um problema. Na minha opinião, a Arte regrediu no verdadeiro sentido da palavra. Ora comparem as obras acima apresentadas, com as que coloco em baixo:


White Center (Yellow, Pink and Lavender on Rose)
de Mark Rothko
Orange, Red, Yellow
de Mark Rothko
Woman III
de Willem de Kooning
Rhein II, fotografia de Andreas Gursky
a.k.a. fotografia mais cara do mundo
The Scream
de Van Gogh
Supermatist Composition
de Kazimir Malevich
Sem Título (creio eu)
de Pablo Picasso

Guernica
de Pablo Picasso
The Persistence of Memory
de Salvador Dalí
Como podem ver, hoje em dia há muitas pinturas, boas e más, na minha opinião. Salvador Dalí e Pablo Picasso são dos meus pintores favoritos, principalmente devido à irrealidade retratada nas suas obras e devido às fortes cores que usam. E, na minha humilde opinião, são dos melhores exemplos de artistas contemporâneos. Já Mark Rothko, Willem de Kooning e Kazimir Malevich apresentam obras tão simples que para mim nem chegam ao estatuto de Arte. Obras tão ridículas que, se não me dissessem que tinham sido pintadas por pintores profissionais (e se não me dissessem que custaram mais de 60 milhões de dólares), eu diria que tinham sido pintados por crianças do 6º ano. Já para não falar da magnífica fotografia "Rhein II" de Andreas Gursky que é a fotografia mais cara do mundo custando... (drumroll)...... 4.3 milhões de dólares. WTF? Quem é que no seu perfeito juízo compra aquela fotografia por 4.3 milhões de dólares. Uma fotografia tão ridiculamente fácil de tirar que qualquer pessoa com uma boa câmara e um tripé podem copiar. O que acontece a fotografias como:

São coisas como estas que me "irritam" na arte contemporânea. O que aconteceu às obras como "Mona Lisa" e "O Nascimento de Vénus"? Foram substituídas por estas novas maravilhas da Arte como "Supermatist Composition" ou "Orange, Red, Yellow"? Por outro lado ainda temos grandes pinturas como "The Scream" e "The Persistence of Memory".
Assim, deixo-vos duas perguntas: como acham que vai ser a Arte daqui a 50 anos? E o que acham desta nova tendência no mundo artístico?

P.S. Já para não falar nos novos talentos musicais que ultrapassam de longe Mozart e Beethoven com as suas músicas tão profundas e sentimentais:

3 comments:

  1. Ois,

    Só te posso dar mais uma vez os parabéns pelo teu trabalho, muito bom ;)

    ReplyDelete
  2. ...por favor fazer a retificaçao da autoria de "GUERNICA", que na verdade é de Pablo Picasso e não de Salvador Dali.

    ReplyDelete